Astrid y Gastón: A dupla que revolucionou a gastronomia peruana

33

Texto: Maurício de Souza
Imagens: Maurício de Souza

Foto: Divulgação

Com vários prêmios e elogios, como o “2018 Diners Club Lifetime Achievement Award” no evento dos 50 Melhores Restaurantes do Mundo em 2018, o “Art of Hospitality Award” em 2017, “Melhor Chefe de Pastelaria” à Astrid Gutsche em 2015 e o “restaurante número 1 na lista dos 50 Melhores Restaurantes da América Latina” em 2013, Astrid y Gastón continuam a crescer e a mostrar o que há de melhor na gastronomia do Peru.

Foto: Divulgação

O chef Gastón Acurio nasceu em uma família de políticos (o pai foi senador nos anos 80) e começou a estudar Direito para seguir o caminho traçado pela família. Poucos anos após iniciar o curso, Chefe Acurio decide mudar-se para Paris e fazer um curso de culinária na prestigiosa escola Le Cordon Bleu, onde conheceu sua esposa, a Chefe de Pastelaria, Astrid Gutsche, originária da Alemanha. Em 1994, regressa ao Peru e, com o conhecimento de culinária internacional, eleva a cozinha local a um nível superior desenvolvendo a Cozinha Novoandina, um estilo culinário que se origina no Peru e tem como foco retomar os costumes alimentícios da era pré-colombiana, redescobrindo ingredientes autóctones. Foi nesse período que abriu o restaurante Astrid y Gastón, junto com sua esposa Astrid.

Astrid e Gaston
Foto: Divulgação

Inicialmente, o restaurante oferecia um menu bem francês, típico da época. Com o passar dos anos, os dois Chefes mudam o restaurante da localidade de Miraflores para Casa Moreyra, na localidade de San Isidro. Casa Moreyra é datada de 1560 e muitos acontecimentos se passaram por ali até chegar nos dias hodiernos com a construção do restaurante Astrid y Gastón. O cardápio aposta em pratos típicos da região, porém modernizados e podem ser apreciados à la carte ou em menu degustação. Todas as mercadorias sāo rigorosamente selecionadas e às mesas chegam só produtos sazonais e fresquissimos. Os pratos são divinamente apresentados e elaborados artisticamente com precisão técnica, proporcionando uma experiência multissensorial que vai além de qualquer imaginação.

O restaurante é dividido em cinco ambientes: El Restaurant, onde só é servido o menu degustação. Aqui se conta a história do Peru através da gastronomia. Nesse local, todos os anos, designers criam pratos e talheres exclusivos para a temporada, as roupas dos funcionários são desenhadas só para esse ambiente e até a música é escolhida de acordo com a época do ano. Em seguida, La Barra, um espaço mais casual onde o cliente pode ir todos os dias e vivenciar experiências gastronômicas diferentes, pois o menu muda diariamente. Um outro ambiente é chamado El Cielo, onde tudo é privativo desde o chefe até os pratos que chegam às salas. Nesse ambiente, o hóspede pode transformar seus desejos gastronômicos  em realidade. El Eden é um outro local que seria o jardim botânico. Engenheiros agrônomos são empregados permanentes e cuidam de todas as ervas e especiarias, que serão utilizadas nos saborosos pratos. Durante a hora do almoço, o jardim recebe crianças e estudantes conectando-os com os cozinheiros de modo que eles aprendam sobre a biodiversidade, a natureza e a gastronomia peruana. El Patio é um outro ambiente onde acontece o programa de reintegração, duas vezes por semana, com pessoas idosas que aprendem a cozinhar e a conhecer a culinária do país. Por fim, El Taller. Estudantes da Universidad Catolica e da Universidad Nacional Agraria La Molina podem vir aqui e  estudar com mais profundidade a história da gastronomia peruana.

Menu Degustação no Restaurante Astrid y Gastón, Lima

Com grandes mesas, ambiente e decoração sofisticados, uma gastronomia impecável, gentileza e profissionalismo dos funcionários, tornam o restaurante Astrid y Gastón um dos melhores do mundo. O bar propõe o típico e delicioso pisco, além de 250 opções de vinhos provenientes de cada canto do mundo. Todos os pratos são harmonizados com diferentes tipos de bebidas.

1. Um prato decorado como se fosse uma cama feita com pele de peixe, dashi com pepino e melão cobertos com ostras. Cerveja artesanal “oveja negra”. 

2. Em seguida, o camote, uma espécie de batata roxa com abacate e lasca de pimenta vermelha. 

3. Logo, o famoso ceviche do século XIX. Originariamente o ceviche era condimentado com laranja e pimentão amarelo, pois o limão chegou muito tarde no Novo Mundo. Vinho Cartagena 2015, Sauvignon Blanc, Chile. Dizem que os ventos da Colômbia chegam até o Peru, daí o nome Cartagena.

4. Segue a salada nikkey com língua de ouriço, soba, gema de codorna e nori. Vinho Stella Flora Maria Pia Castelli 2011, Monte Urano, Itália. 

5. Logo, lâminas de peixe com flores comestíveis e salsa de pimenta. Vinho Gramona, Tres Lustros Gran Reserva 2007, Catalunia, Espanha.

Cada prato vem acompanhado com diferentes tipos de condimentos e pães:

1. Manteiga com sal de Maras
2. Guacamole com chimichurri e pimentas vermelhas
3. Tomate defumado com suas próprias cinzas, tomate e mel

Pães:
De milho, de batata e queijo, centeio, focaccia, caracol com pimentão e muffin de milho frito 

6. Ovo tempurá com salsa de frutos do mar e lagosta. Vinho Quebrada de Huanco 2015, Cañere, Perú

7. Polvo com huacatay. Vinho Saint Joseph 2008, Les Pierres, Pierre Gaillard, França.

Para refrescar o paladar antes das sobremesas:
8. Raspadinha de gelo com frutas exóticas, pisco e azeitonas. Vinho Flux Natural Rutini 2013, Mendoza, Argentina.

Finalmente o momento esperado. A Caixa de Surpresas. Uma apresentação fabulosa criada por Astrid Gutsche, Chefe de Pastelaria e co-proprietária do restaurante. Uma grande caixa de madeira com vários docinhos e acompanhados de sobremesas escolhidas por ela. Tudo harmonizado com um drinque com canela e pisco artesanal de Arraranca. Astrid, além de ser uma fantástica Chefe de Pastelaria  e anfitriã, tem como hobby a dança de salão e já foi vencedora de vários prêmios internacionais. 

A viagem culinária não termina aqui. Para os amantes de ceviche, La Mar Cebicheria Peruana é um outro restaurante desses dois chefes. O melhor horário para se visitar é na hora do almoço porque, segundo Astrid, ceviche se come durante o dia quando o peixe vem trazido fresco pelos pescadores pela manhã. O restaurante só abre das 12 às 17:30. A decoração presta homenagem às diversas culturas e influências do Peru utilizando bambu do Japão e fibras naturais do norte do país. Interessante é a seção onde os peixes são mantidos frescos como em um verdadeiro mercado. Eis aqui uma seleção de vários pratos de ceviches, tiraditos e de frutos do mar do restaurante votado entre os 50 melhores do mundo. 

Foto: Divulgação

Por fim, aproveite a sua visita no Peru e se delicie com as maravilhas criadas pelos Chefes Astrid, Gastón e toda sua equipe. Com certeza será uma viagem a ser lembrada para o resto da vida.

Para mais informações acesse:
www.astridygaston.com
www.lamarcebicheria.com