“Timespaces”, de Muti Randolph, em lançamento com instalação no MIS-SP

21 nov, 2014


Em duas décadas de carreira, o artista plástico brasileiro Muti Randolph desenvolveu um trabalho de estilo e técnica únicos, que mistura luz e som, artes gráficas e arquitetura. Timespaces, lançamento da BEI Editora, apresenta os registros das instalações em três dimensões do designer carioca, cuja obra já foi resenhada na revista americana Frame e consta em publicações de referência como a coletânea Architecture Now, da editora Taschen. Ele é também um dos 500 artistas selecionados pelo projeto internacional Creator´s Project, e reconhecido como um dos maiores expoentes da arte inspirada e fundamentada em novas tecnologias. Muti Randolph é criador de espaços que revolucionaram o design de interiores brasileiro, como os clubes noturnos U-Turn (1996) e D-Edge (2oo3). Ele também assinou instalações em importantes eventos e locais de cultura pop, como o Festival Coachella (EUA), a SPFW e a Galeria Melissa em São Paulo, cuja filial em Londres será inaugurada em outubro.

Para construir suas instalações, nas quais “o espaço é determinado pela luz, e a luz é determinada pela música”, Randolph desenvolveu um software generativo que controla suas ilustrações luminosas; estas reagem ao som e fazem o próprio espaço dançar. “Ao criar cenários e projetos de arquitetura de interiores, realizo o sonho de entrar nas minhas ilustrações. É como uma imersão sensorial”, afirma o designer.

Timespaces celebra a importância das instalações de Randolph e traz para analisar a sua obra dois especialistas internacionais: Philip Jodidio, crítico de arquitetura da editora Taschen que assina o prefácio e a jornalista e consultora de design americana Shonquis Moreno responsável pelos textos. Timespaces chega às livrarias numa edição de luxo, que inclui uma capa 3D.

  “O conceito de Randolph, embora completamente contemporâneo, remete ao tempo em que espaço, luz e som preenchiam grandes igrejas, transportando os fiéis. O envolvimento sensorial dos trabalhos dele é um apelo eloquente à arquitetura, artes visuais e música possam ser reunidas outra vez. O objetivo dessa fusão não é mais religioso, mas, como diz Randolph, ‘nós respiramos isso, até que um dia se torne a batida (do coração) que nos move.’”

 Trecho do prefácio de Timespaces, por Philip Jodidio

 Lançamento com instalação efêmera de Muti Randolph

 26 de novembro  às 19h
MIS – Museu da Imagem e do Som de São Paulo
Avenida Europa, 158 – Jardim Europa
São Paulo – SP, 01449-000


Português / inglês • 1ª edição • 2014
227 páginas.
Preço: R$ 120

Por Cristiano Rufino
Foto: Divulgação

Posts relacionados

Deixe uma resposta