South Sound: o encontro chic do mundo fashion com música eletrônica

19 jan, 2017

A amizade entre a DJ Cris Proença e Sarah Stenzel surgiu como qualquer outra: três anos atrás, duas pessoas que tinham amigos em comum se encontraram em uma festa e descobriram também ter gostos parecidos para música, moda e arte. Figuras muito presentes no cenário Jet Setter em São Paulo, a parceria das moças foi além e assim surgiu um dos novos projetos de música eletrônica que tem elevado o astral dos clubes mais badalados da cena paulistana, o South Sound.

“A Cris tocava há tempos e eu decidi sair do meu antigo business pra me aventurar nesse mundo da música eletrônica”, conta Sarah. As duas juntaram suas referências vindas do rock n’ roll, do house, do deep e da música clássica em busca de uma sonoridade que classificam como “sofisticada, forte e feminina”, mixando tudo com o jeito de tocar individual de cada uma. “A Cris traz um tipo de estilo pra dupla que é bem pra cima, bem festa. Mas aí vem uma pegada mais séria da Sarah, e no meio do caminho a gente acaba se encontrando”, conta. Mas o que realmente influencia o South Sound é o movimento. Sarah explica: “o movimento que a gente gosta é feminino porque a gente tem um background de moda, de fotografia. A gente gosta de ver a pista ter um movimento bonito”. No fim, nada se compara com a sensação de ver seu público se divertindo, independente de onde esteja.

Além dos DJ sets elaborados, Cris e Sarah gostam de entender para quem estão tocando. Para atingir a meta de conquistar a pista, o duo presta muita atenção no lifestyle da plateia. “Independente do lugar, a gente se importa muito em estar em sinergia com o público, ligada a ele”, diz Sarah. E as belas decidiram não parar só em apresentações: também estão investindo em sons autorais. “A gente tá buscando coisas novas pro nosso projeto e nosso objetivo é começar a produzir”, detalha Cris. “Estamos nos unindo com dois artistas incríveis de influência rock n’ roll, a dupla MadHouse, e vamos fazer shows pra construir algo diferente e inovador no meio da música eletrônica brasileira”.

Com tantas referências musicais diferentes e com integrantes inseridas num universo sofisticado e criativo como o da moda, da cena eletrônica e da fotografia, era de se esperar que a sonoridade do South Sound fosse sinônimo de glamour e elegância – ou seja, que fosse considerado COOL. Mas o que isso significa para elas? “Ser COOL é uma questão de atitude, gostar daquilo que você realmente acredita e saber se permitir e se aceitar, viver da forma mais autêntica possível”, opina Sarah. E Cris completa a fala da amiga: “ser COOL é saber se gostar”. Ao que tudo indica, as dupla tem bagagem suficiente para construir um projeto diferenciado e muito rico para a vida noturna brasileira.

Mais informações:

www.instagram.com/southsoundmusic

www.soundcloud.com/south-sound-958517309

Texto por: Jacqueline Elise / Fotos: Divulgação

Posts relacionados

Deixe uma resposta