Implantes e Modulação Hormonal

20 jun, 2017

Bem-estar e satisfação pessoal

A mulher atual se depara frequentemente com situações cotidianas de stress. Raramente está satisfeita com seu desempenho em diversas áreas da sua vida, tendo a necessidade de realizar múltiplas tarefas em 24 horas. Com isso, o assunto sobre modulação hormonal tem encantado e despertado muita curiosidade, tornando-se um recurso com excelentes resultados, se associado à atividade física e boa alimentação.

O que é a modulação hormonal?

A modulação hormonal é algo extremamente sério, necessitando acompanhamento de rotina com médico especialista na área. Pode ser feita em homens e mulheres de diversas maneiras, como por exemplo, a reposição tópica em forma de géis, via vaginal ou pela pele (transdérmica), via oral, nasal e implantes.

Os hormônios podem ser sintéticos (desenvolvidos para se ligarem nos receptores dos hormônios produzidos naturalmente por nós) e bioidênticos (mesma molécula que nós produzimos).

Quando devemos utilizar alguma reposição?

Na maioria dos casos, a própria paciente é quem nos diz, ou seja, basicamente medicamos devido aos seus sintomas, são eles: queda de libido, retenção hídrica, irregularidades menstruais, cansaço, queda de cabelos, unhas frágeis e labilidades emocionais (alterações de humor) associadas a vontades loucas de doces e carboidratos. Estes sintomas caracterizar também TPM e climatério, que necessitam ser avaliados em conjunto com exames laboratoriais.

Sobre os implantes hormonais, o que é necessário saber?

Os implantes hormonais estão se tornando conhecidos como chips da beleza, mas devemos orientar a paciente que não se trata do Implanon – Implante anticoncepcional que se coloca no braço.

Considerando que os chips não são utilizados apenas para fins estéticos, os mais comuns são a Elcometrina, Nesterone e o Gestrinoma, podendo ser colocados na fase da amamentação com efeito contraceptivo.

O mais utilizado é introduzido no sulco interglúteo, e possui o hormônio Gestrinona, um antiestrogênico e anti-progesterona, que tem como objetivo o anabolismo por ser a favor da testosterona que produzimos (esteroide), atuando no ganho de massa magra e redução significativa de gordura localizada e celulites (se bem associado a um bom plano alimentar e atividade física regular), este hormônio também atua na redução de miomas, anemias e dos focos de endometriose, melhora libido, sintomas de TPM e menopausas e também desempenho nas atividades físicas.

Trata-se de uma reposição hormonal sintética, a indicação deve ser avaliada juntamente com o ginecologista especialista para devida miligramagem e orientações, pois ele pode ter efeito contraceptivo ou necessita ser introduzido o DIU de fio de cobre para maior segurança de contracepção. Pacientes do sexo masculino também podem se beneficiar com outros tipos de reposição hormonal em implantes. Se você tem algumas dessas queixas ou se interessou, consulte um especialista!

+ INFORMAÇÕES:

Email: contato@espacovolpi.com.br

Instagram: @espacovolpi

Local: Rua Groenlândia, 390 – Jardim America, São Paulo – SP

Site: http://www.espacovolpi.com.br/

Telefone: (11) 4306-6715

Texto: Dra. Maria Rita Curty
Foto: Divulgação

Posts relacionados

Deixe uma resposta