Darick Gyorgy @ Cool Magazine

1

Produtor brasileiro mais jovem a tocar no UMF – Ultra Music Festival em Miami, Darick Gyorgy realizou sua primeira grande residência aos 19 anos no club D-Edge em SP, eleito o melhor do país por diversos anos consecutivos.

Com seu setlist, Deep House, já lançou tracks em grandes labels, além de apresentações em renomados clubs e festivais. Já dividiu stages com Carl Cox, Fat Boy Slim, New Order, Jhon Digweed, Jamie Jones, Madonna, Justice, Sven Vath, entre muitos outros.

Começou 2015 assinando com a aclamada “Get Physical Music” de Berlim juntamente com seu amigo francês Thomas Gandey que participou de grandes colaborações com Hot Since 82, Dj T, Blond;ish, German Brigante e muitos outros. 

11807672_10205907660224075_5078145053472395017_o

1- Quais são as suas referências para criação e produção dos sets?  

Não tenho uma Referencia especifica na hora de criar um set, procuro ouvir um pouco de tudo para fazer uma construção de acordo com o momento em que eu entro para tocar, acho que cada podcast conta uma historia diferente, as vezes começo com Deep e termino com Techno e vice versa, toda musica tem sua hora certa para tocar, o lance é olhar para a pista e acertar o momento, rs.

 

2- Você vive, respira a música eletrônica. Ela está no seu DNA, podemos dizer assim. Mas, quando o DJ não está se apresentando ou se preparando para um show, o que o Darick ouve? Quais tuas outras influências em gênero e estilo? Você poderia citar nomes de alguns artistas que te influenciam na música?

Disco, Soul, Pop, Indie, Rap e muitas outras, Michael Jackson, New Order, Depeche Mode, James Brown, Simple Red, U2, A-ha, Tina Turner, whitney houston, Oliver Cheatham, Chic, Quincy Jones, The XX e por ai vai…

 

3- Qual a sensação que você tem quando está nas pick ups e vê uma multidão levantar com a sua música?

Muito gratificante, a troca de energia é constante, eu esqueço de tudo e aproveito ao máximo junto da pista, só estando lá naquele momento para entender.

 

4 – Qual é o maior sonho ou conquista na carreira que você ainda não conseguiu realizar?

Um tour pelo mundo, não um continente especifico, mas levar minhas musicas para lugares que eu nunca imaginaria estar um dia.

 

5 – De todas as suas criações, tem alguma predileta? Aquela que você nunca deixa de tocar ou que tem um carinho especial? Se sim, qual é e por quê?

Eu sempre brinco que a minha preferida é a próxima que vou produzir, rs. Mas tenho algumas collabs que gosto muito. Uma se chama “Surround Me” que foi produzida com meu amigo francês Thomas Gandey e foi lançada recentemente pela “Get Physical Music” gravadora que sempre esteve presente em meus sets,  e a track ficou por 1 mês no top 50 das mais vendidas do beatport. Gosto muito também da Never Alone que tem os vocais da americana Kaye Fox e no EP remix e dubmix do produtor inglês Paolo Mojo. Mas a minha favorita chama-se  “The Word Together” que ainda é exclusiva e será lançada em breve com meu brother Fabio Castro.

 

6- Você está planejando alguma novidade ou lançamento para 2015?   

Várias novidades e lançamentos em breve, Incluindo um EP para Get Physical Music, alguns remixes para Dear Deer Records, Collabs com os amigos Thomas Gandey (França), Fadel (Canada), Dado Prisco (Brasil) além de  estar começando a trabalhar no meu primeiro álbum.